Rádio Frei Caneca deve priorizar diversidade musical e de conteúdos - TV Pernambuco

Notícias

Rádio Frei Caneca deve priorizar diversidade musical e de conteúdos

Uma rádio pública e que apresente a diversidade de expressões culturais pernambucanas, é assim que se projeta a rádio Frei Caneca. As principais propostas para a gestão, o financiamento e a programação da emissora pública foram apresentadas e discutidas ontem com a sociedade em audiência pública, realizada na Câmara de Vereadores do Recife.

O gestor de música da Fundação de Cultura da Cidade do Recife, Patrick Torquato, que comanda a implantação da emissora, destacou a importância de se abrir o diálogo com a população. “Agora nós temos este documento, que deve guiar o processo”, disse Patrick, que anunciou a formação de um novo grupo de trabalho para acompanhar o processo de implementação da rádio, a partir das propostas apresentadas e discutidas. Segundo a educadora da ONG Auçuba, Rosa Sampaio, este processo é importante para que a rádio tenha de fato pluralidade de vozes e abra espaço para as expressões que não encontram visibilidade na grande mídia comercial.

O presidente da Fundação de Cultura, Diego Rocha, informou que o termo de referência para a aquisição dos equipamentos de transmissão já está finalizado e que o processo de licitação deve ser aberto ainda neste semestre. Após a compra dos equipamentos, a rádio, criada em 1960, por projeto do ex-vereador Liberato Costa Jr, deve aguardar ainda a reforma das instalações da sua sede, no bairro do Recife, e a compra de equipamentos de estúdio, para que possa se dar a montagem das equipes e, por fim, da grade de programação.

Confira algumas das principais propostas apresentadas na audiência:

Gestão

Garantir a criação de um conselho, com poder fiscalizador e propositivo, composto por seis representantes da sociedade civil, 1 representante dos servidores, e quatro representantes do

Garantir que o conselho possa indicar os nomes a partir dos quais a gestão da prefeitura elegerá a direção da emissora;

Garantir que até o 13º mês de operação, pelo menos, 40% do efetivo da emissora tenha sido contratado por meio de concurso público;

Garantir a existência de ouvidoria para receber propostas da população;

Garantir um mínimo de 30% de funcionários efetivos no quadro de direção da emissora

Programação

Garantir o fortalecimento das matrizes tradicionais de cultura popular;

Diversificar a grade de programação com programas de perfis como: musical, musical-informativo, documentário, jornalístico, transmissão de eventos esportivos e culturais, debates, revista generalista, fala-povo, ficção e rádio-novela;

Abertura de 20% da programação para conteúdo radiofônicos de produção independentes;

Garantir um mínimo de 30% de artistas pernambucanos na grade de programação musical;

Produzir um mínimo de 90 minutos diários de jornalismo, sendo 50% destes de conteúdo local.

Garantir, no mínimo, 3 horas de programação semanal voltada para os públicos infatil e infanto-juvenil.

Financiamento

Garantir, por meio de dotação na Lei Orçamentária Anual do Município, os recursos para custeio e manutenção da emissora;

Garantir um Fundo Municipal de Incentivo ao Rádio, para produção pública e comuntária;

Garantir um mínimo de 20% das veiculações pagas de anúncios publicitários da Prefeitura para a rádio pública.;

Garantir a possibilidade de captar patrocínio por meio de “apoio cultural” e “publicidade institucional”;

Desenvolver um portal de transparência para prestação de contas junto à sociedade;