Multidão celebra fé e homenageia Nossa Senhora da Conceição - TV Pernambuco

Notícias

Multidão celebra fé e homenageia Nossa Senhora da Conceição

O morro da Conceição, no bairro de Casa Amarela, Zona Norte do Recife, amanheceu vestido de azul e branco nesta sexta-feira. Uma multidão seguiu ladeira acima para um encontro com Nossa Senhora da Conceição, santa celebrada no dia 8 de dezembro, feriado na cidade.

Carregando terços, velas e flores nas cores da santa, os fieis vieram renovar a fé, fazer pedidos e agradecer pelas graças alcançadas. A maioria das pessoas faz o trajeto até o santuário a pé, mas há também quem suba de bicicleta ou mesmo de joelhos, para pagar promessas.

De acordo com o Padre Renato Azevedo, pároco do Santuário do Morro da Conceição, cerca de um milhão e meio de pessoas devem visitar o local nos 10 dias que marcam a festa em homenagem à santa.  Nesta sexta-feira (8), último dia dos festejos, serão celebradas missas a cada hora, intercalando celebrações dentro do Santuário e no palco externo das 00h às 10h.

A procissão de encerramento da 113ª Festa de Nossa Senhora da Conceição terá concentração a partir das 14h. O cortejo sairá do Forte do Brum, no Cais do Apolo, às 15h. Com um percurso de aproximadamente 7 km, a caminhada segue pela Ponte do Limoeiro e Avenida Norte, subindo pela Estrada do Morro da Conceição, em direção à Praça do Morro da Conceição.

A missa solene de encerramento será campal, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, às 18h.

HISTÓRIA DA FESTA – A “Festa do Morro”, como é conhecida popularmente, teve origem a partir da comemoração do cinqüentenário do dogma da Imaculada Conceição, instituído pelo Papa Pio IX, em 1854.  No dia 08 de dezembro de 1904, foi inaugurado o monumento com a imagem de Nossa Senhora da Conceição, pelo então bispo de Olinda, Dom Luiz Raymundo da Silva Britto. A partir desse dia, o Morro da Boa Vista passou a ser denominado como o Morro da Conceição.

IMAGEM – A imagem de Nossa Senhora da Conceição, que fica no santuário que leva o nome da santa, foi trazida da França em um navio em 1904. Ela mede 3,5 metros de altura e pesa 1840 kg. Representa Maria Santíssima, toda vestida de branco e envolvida em um manto azul. Simboliza a passagem bíblica do livro do Gênesis (3,15), em que Deus diz: “Porei inimizade entre ti e a Mulher, entre a tua descendência e a dela. Tu lhe ferirás o calcanhar e ela te esmagará a cabeça”. A imagem mostra Maria de pé sobre o globo terrestre, com uma coroa dourada na cabeça, com as mãos unidas em oração e uma cobra sendo esmagada pelos pés e tem sua face voltada para a igreja matriz, numa posição privilegiada, onde pode ser vista de várias partes do Recife.

Foi restaurada pela primeira vez em 2001, e, ano passado, passou pela segunda intervenção artística, com duração de três meses para ficar pronta. De acordo a arquiteta restauradora, Karla Grimaldi, responsável pelo trabalho de restauro da imagem, foi usada massa de poliéster para nivelar as fendas da peça, e na pintura foram utilizadas tintas PU, a mesma utilizada em navios, e placas folheadas de ouro 23k.